Live Earth: Amazónia (Brasil)

A destruição da Amazónia: Um desastre a nível planetário
O Brasil (independente desde 1822) com uma área de 8 514 215,3 Km2 e uma população superior a 184 milhões de habitantes é o maior país da América do Sul.
O Brasil é conhecido mundialmente pela sua enorme floresta tropical (a Amazónia) que permaneceu quase intocada até há 50 anos, mas que actualmente se encontra seriamente ameaçada.
A extinção de muitas espécies animais e vegetais foi referida na primeira Conferência Internacional Ambiental da ONU, no Rio de Janeiro, em 1992, como um dos grandes problemas ambientais do Século XX. O progresso das sociedades e a ganância económica têm dizimado milhares de espécies vegetais e animais, dos mais variados ambientes bioclimáticos.
Ao sermos responsáveis pela extinção de algumas espécies estamos a contribuir para a delapidação de um património genético essencial para a produção de medicamentos e a cura de muitas doenças.
A selva Amazónica estende-se muito para além da bacia do rio Amazonas. Cerca de 60% da Amazónia está no Brasil. Os restantes 40% distribuem-se pelos países circunvizinhos.
Na figura (em cima): A localização do Brasil e a extensão da floresta amazónica.
A Amazónia não é apenas uma grande planície coberta de floresta densa e homogénea. Esta região abriga variados ecossistemas específicos em clima, fauna e flora (é a mais rica e a maior floresta tropical do planeta). As quatro mil espécies vegetais da Amazónia são responsáveis por 50% do oxigénio da Terra e os seus rios constituem uma das maiores reservas de água doce do Mundo.
Segundo o Fundo Mundial para a vida Selvagem (WWF), o Brasil tem a maior taxa de desflorestação do Mundo. Todos os anos cerca de 18 200 Km2 de floresta amazónica são destruídos. É uma ameaça, entre outras, à biodiversidade.
O Brasil é considerado o país de maior biodiversidade biológica do planeta. Segundo o IBAMA, órgão responsável pelas listas oficiais de espécies de fauna e da flora brasileiras ameaçadas de extinção, 219 espécies animais e 106 espécies vegetais correm o risco de desaparecer.
Na figura (em cima): A destruição da floresta amazónica (no Brasil). De cor castanha, a área desmatada; de cor amarela, a área sujeita a queimada.

Os factores que ameaçam a biodiversidade são a caça predatória e ilegal, o derrube de florestas, as queimadas, a destruição dos ecossistemas para loteamento e a poluição dos rios. Outro problema que ameaça a fauna e flora brasileira é a chamada biopirataria.

Os interesses económicos têm conduzido madeireiros, fazendeiros e empresas poderosas a uma destruição criminosa da floresta amazónica com implicações locais (por exemplo, nos povos indígenas que nela vivem) e globais (a Amazónia é a principal "fonte" de oxigénio do planeta).
Na figura (em cima): O derrube e a extracção de madeira ilegalmente da floresta amazónica.

A manter-se a exploração descontrolada e criminosa da floresta amazónica, o mogno é uma das espécies que se poderá extinguir. Perante esta situação é fundamental alertar as comunidades brasileira e internacional para a protecção da biodiversidade.

O Greenpeace tem desenvolvido projectos com os municípios brasileiros por forma a que estes assumam compromissos com a preservação da floresta amazónica. Por exemplo, o programa Cidade Amiga da Amazónia, tem como principal objectivo criar uma legislação municipal que elimine a compra de madeira de origem ilegal e a desflorestação riminosa. Com este programa pretende-se ajudar a criação de condições de mercado para a madeira produzida de forma sustentável na Amazónia.
O crescimento económico do Brasil passa pelo incremento do sector agro-industrial na Amazónia, o que tem contribuído para a sua destruição. A construição de acessibilidades (portos,caminhos-de-ferro e construção de estradas) tem acentuado a delapidação da floresta.
As propriedades dedicadas à criação de gado bovino vão-se estendendo, com prezuízo das florestas.
Par combater esta realidade têm sido tomadas algumas medidas, nomeadamente, a proibição de caça e pesca a animais em vias de extinção, maior controlo no tráfico de animais e a criação de reservas e áreas protegidas.
Porém, as riquezas desta vasta região, mais do que as preocupações ecológicas, têm levado alguns países desenvolvidos a contestar a soberania brasileira sobre a Amazónia. Eis alguns desses exemplos:
--> Ao contrário do que os brasileiros pensam, a Amazónia não é deles, mas de todos nós. (Al Gore, 1989, vice-presidente dos EUA);
--> O Brasil precisa de aceitar uma soberania relativa sobre a Amazónia. (François Miterrand, ex-presidente da França);
--> O Brasil deve delegar parte dos seus direitos sobre a Amazónia aos organismos internacionais competentes. (Mikhail Gorbachev, 1992, ex-pesidente da URSS);
--> A Amazónia deve ser intocável, pois constituiu-se no banco de reservas florestais da Humanidade. (Congresso de Ecologistas Alemães, 1990).
Assim, se o ritmo de devastação continuar, em apenas algumas décadas, a Humanidade poderá encontrar-se face a um desequilíbrio ecológico catastrófico e irreversível.
Uma parte do planeta perderá as chuvas provenientes da evapotranspiração da selva.

Na figura( em cima): As trocas de água na floresta equatorial (os valores são expressos em ton/ha).

A atmosfera será invadida por milhares de toneladas de gás carbónico.

A desvastação contribuirá para o aparecimento de novos buracos na camada de ozono, a Terra aquecerá ainda mais, devido ao aumento do "efeito de estufa" e tornar-se-á mais difícil fazer previsões seguras para as colheitas.

A recuperação da floresta amazónica e das restantes florestas tropicais e equatorais pode demorar 50 anos.

Veja também: (Clique aqui)

StreS'sNet": Live Earth: animais em extinção

StreS'sNet": Live Earth: a camada de ozono

StreS'sNet": Live Earth: os problemas ambientais

5 comentários:

  1. O desmatamento na amazônia caminha a passos largos. A cada ano que passa os níveis de desmatamento só aumentam, apesar de toda a polêmica existente em torno dela. Muito se fala, mas de concreto, mesmo, pouca coisa tem sido feita. Falta fiscalização. Falta vontade política. Falta amor à vida.

    Abraços!

    ResponderEliminar
  2. Olá amigo!!
    Muito grata por ter levantado essse tema de mais alta importância e urgência, meus amigos já comentaram e resumem de alguma forma o que penso, mas quero ressaltar que esse debate é precioso e você teve grande sensibilidade e nos por a frente a questão, pois convivendo com ela ao longo dos anos vai se amortecendo os sentidos, a capacidade de reação, o sentimento de impotência resvala para inação e tudo vai se perdendo sem que se dê conta! Muito triste!!!
    abraços

    ResponderEliminar
  3. Parabéns pelo artigo, muito bem abordado, digo isso pois estudo engenharia ambiental e você foi ótimo. Resta agora todos acordarem pro problema sério que enfrentamos em relação a destruição em massa da floresta Amazônica e procurar rever e mudar seus conceitos.

    ResponderEliminar
  4. ola gostaria de perguntar porque a amazonia ERA considerada o pulmao do mundo?

    ResponderEliminar

Leia as regras:
Todos os comentários são lidos e moderados previamente.
São publicados aqueles que respeitam as regras abaixo:

- O seu comentário precisa ter relação com o assunto do post;
- Em hipótese alguma faça propaganda de outros blogs ou sites;
- Não inclua links desnecessários no conteúdo do seu comentário;
- Se quiser deixar a sua URL, comente usando a opção OpenID.

O estado do tempo

Tempo Lisboa

Veja também outros links:

Parceiros

Tedioso: Os melhores links Uêba - Os Melhores Links À toa na Net Seus links em um só lugar!
Está no seu momento de descanso né? Entao clique aqui!