Madeira: Pérola do Atlântico

Madeira - Um Jardim Sobre o Mar
A Madeira tem, realmente, um encanto especial. Mas qual é? Na verdade, há muitas outras ilhas no mundo, outros lugares para fazer férias, talvez com um clima melhor, ou monumentos mais importantes. É a própria Madeira que vos responderá ao enigma desde o momento que você põe o pé em terra. Fica-se logo com a impressão que desembarcamos num ramo de flores e verdura que está poisado no mar.
Na figura (em cima): Vista panorâmica da cidade do Funchal.
Para uns é colorida árvore em flor, uma renda delicada, ou o gosto doce do seu vinho. Para outros, é a alegria de uma dança folclórica, o luar sobre a baía do Funchal, ou uma boa espetada à madeirense num dos muitos hotéis da ilha.
A Madeira é a maior ilha de cinco nascidas de uma erupção vulcânica e, na verdade, é o pico de uma cadeia rochosa emergindo do mar. As suas origens turbulentas podem-se apeciar por todos os lados: o interior da ilha é montanhoso, cortado por ravinas abruptas, com levadas que cortam a falésia do litoral.
O Cabo Girão, a Oeste do Funchal, domina o mar da altura de 680 metros.
No interior destacam-se os Picos Ruivo e do Areeiro, os mais altos da ilha; o último, muitas vezes com neve nos Invernos mais frios.

Na figura(em cima): Vista parcial do Pico Ruivo.

Um passeio que se recomenda: o Curral das Freiras, no fundo de uma antiga cratera, com acesso por uma estrada cheia de túneis. Dada a sua origem vulcânica, quase não existem praias, mas os hotéis obviaram o facto e as piscinas formam um colar todo à roda da ilha.

Tudo na Madeira é um encanto, desde os campos cultivados em socalcos, até à flora natural, onde a Europa e a África estão de mãos dadas. As flores europeias estão lado alado com as bananeiras, os ananáses e os maracujás.
Aqui e além, no meio da verdura, despontam as casas típicas. No meio de tanta complexidade, dificilmente se acredita que se possa fazer ainda a pecuária. Mas as vacas lá estão.

Na figura (em cima): Casas típicas de Cabanas (Madeira).

Deambulando pela ilha, depressa se descobrem outros motivos de atracção: arte dos bordados, da cestaria e dos tapetes, largamente praticada e que assegura uma grande importação de divisas.

Mas os madeirenses são também pescadores, e prata que extraiem do mar, alimenta diariamente os mercados da ilha. Célebres são os "espadas", negros e luzidios, e que têm um sabor magnífico. O centro da sua pesca é a típica vila de Câmara de Lobos. Outro porto que merece ser visitado é o do Caniçal - onde ainda se vão pescando baleias e cachalotes. Correndo perigos tremendos, os pescadores fazem-se ao mar em frágeis embarcações, caçam os cetáceos com arpões.
Muito se pode dizer sobre a Madeira, e será talvez por isso que sobre a ilha há uma literatura abundante, tanto de autores portugueses como estrangeiros. Mas em todas as crónicas, livros, ou reportagens, há sempre um "personagem" que é evocado - o vinho da Madeira.
O vinho da Madeira é único pelo seu perfume, sabor e longevidade.
As cepas iniciais foram importadas de Chipre, Portugal e das margens do Reno. No século XVIII, a fim de o fortificar tendo em vista as longas viagens, os negociantes acrescentaram-lhe aguardente. Durante o trajecto, aquecido por um sol ardente e embalado pelas vagas, a aguardente incorporou-se no vinho, e à chegada ele era muito diferente e melhor que à partida.
Actualmente todo este processo se efectua na ilha, e dadas as suas condições diz-se que "é um vinho que não morre mais".
O Malvasia é um vinho de sobremesa, e os leitores de Shakespeare recordam-se que o duque de Carence, condenado à morte, escolheu-a por afogamento num barril de Malvasia. O Sercial, ao contrário, é um vinho seco, que se bebe fresco, como aperitivo. O Verdelho é meio-seco, O Boal, meio doce, e serve para diversas ocasiões.
Antes de terminar este artigo sobre a Madeira, tendo consciência que ficou todo um mundo por dizer, terei de fazer referência ao folclore.
Certas danças madeirenses são de origem moura, e perpetuam a lembrança dos escravos trazidos de África pelos primeiros colonos.
Entre elas cito a dança da Ponta do Sol; os passinhos curtos fazem lembrar as cadeias que prendiam os pés dos dançarinos, que mantinham a cabeça baixa, por humildade. Como por todos os lados, as danças folclóricas são inspiradas pelos trabalhos quotidianos. As diversas danças tradicionais são apresentadas nos grandes hotéis, por grupos especializados. No entanto, o folclore madeirense não se limita a isso. Uma das alegrias que pode estar reservada aos turistas é visitar uma pequena aldeia em dia de festa.
Estas festas ou romarias chamam gente de todos os pontos da ilha, que vêm em grupos, acompanhados pelos seus tocadores. A ocarina e o violã são bem conhecidos, mas outros instrumentos de cordas, como o machete e o rajão, são, também, utilizados.
Em termos de festas, a mais conhecida de todas é a noite de São Silvestre, quando toda a baía do Funchal fica abrasada por um estonteante fogo de artifício. Nessa altura, não só no Funchal, mas por toda a ilha, o fogo de artifício sobe no ar e não há a mais pequena igreja que não esteja iluminada.
Neste artigo tentou-se falar de tudo um pouco para descobrir qual o encanto da Madeira. O grande segredo, o verdadeiro, esse reside na alma dos madeirenses, um ovo afável e acolhedor.

Madeira, the Portuguese "Pearl of the Atlantic" and birthplace of the Madeira wine, lies some 600 miles southwest of Lisbon and 340 miles West of the Cape Djouchi, in North Africa.

Wehn one approaches the island from the sea, one is taken aback by its luxuriant quasi-tropical vegetation, but the visitor would be much more surprised when he gets to know that Madeira produce, besides grapes and wine, such tropical fruits as bananas, avocado pears, several types of custard-apples, maracocks and even mangoes.

But this should not worry the tourist, for the island, in spite of all this tropical flora, does not nurture snakes or tigers, and has some of the best portuguese hotels.
La Madére, "Perle Portugaise de l'Atlantique" et région où on se produit le vin connu sous même nom, se situe à 978 Km Sw de Lisbonne et à 545 Km de la côte d'Afrique.
Les raisins, les bananes et la cane à sucre snt les principales cultures de la Madère, mais y in trouv aussi des fruits exotiques comme des mangues, des papayes, des anones et des fruits de la passiflora. Mais la Madère, au-del de cette exubérance tropicale, peut aussi ofrir aus turistes tous les conforts des ses modernes et luxueux hotels.

1 comentário:

  1. Sem duvida o meu local de eleição para uma Lua de Mel.

    Deve ser simplesmente maravilhoso de se vesitar.

    ResponderEliminar

Leia as regras:
Todos os comentários são lidos e moderados previamente.
São publicados aqueles que respeitam as regras abaixo:

- O seu comentário precisa ter relação com o assunto do post;
- Em hipótese alguma faça propaganda de outros blogs ou sites;
- Não inclua links desnecessários no conteúdo do seu comentário;
- Se quiser deixar a sua URL, comente usando a opção OpenID.

O estado do tempo

Tempo Lisboa

Veja também outros links:

Parceiros

Tedioso: Os melhores links Uêba - Os Melhores Links À toa na Net Seus links em um só lugar!
Está no seu momento de descanso né? Entao clique aqui!