Beira Baixa - Portugal

A Beira Baixa - Região de Portugal
O objectivo deste artigo é dar a conhecer, duma forma sumária, as principais características desta região geográfica de Portugal Continental. A Beira Baixa, juntamente com a Beira Alta, integra-se, actualmente, numa nova área territorial denominada Beira Interior, mas neste artigo continuaremos a falar do nome pelo qual esta região ainda hoje continua a ser amplamente conhecida.

Fig. 1 - A localização da Beira Baixa.

Morfologia:

A região da Beira Baixa estende-se desde a Cordilheira Central até ao vale do rio Tejo. É uma região de transição norte-sul, com características geográficas idênticas, em certos locais, às regiões nortenhas e noutros sítios ao Alentejo.
A Noroeste, onde ainda abrange parte da Cordilheira Central, é acidentada e montanhosa, destacando-se os contrafortes meridionais das serras da Estrela e Lousã e a serra da Gardunha, esta última separada da serra da Estrela por uma longa e larga zona deprimida vulgarmente conhecida por “Cova da Beira”, drenada pelo rio Zêzere.

Fig. 2 - Vista parcial da área fértil da Cova da Beira.

Para Sul estende-se uma vasta e monótona planície (planície de castelo Branco, como por vezes se chama), da qual emergem algumas colinas e pequenos relevos montanhosos dispersos. As rochas dominantes nesta região são o xisto (que ocupa a maior superfície) e o granito.
Clima:
O clima da Beira Baixa é o Temperado Mediterrâneo, com Verões muito quentes (excepto nas terras altas da zona norte) e Invernos suaves (excepto também nas áreas nortenhas elevadas). As precipitações são abundantes nas áreas montanhosas da Cordilheira Central, mas diminuem rapidamente para Leste e Sul, onde a secura é bastante acentuada.
Flora:
O pinheiro-bravo é a espécie arbórea dominante nesta região, onde cobre as vertentes montanhosas e muitas áreas baixas. No Sueste, muito seco, surgem já algumas manchas de sobreiros e azinheiras, a fazerem lembrar a proximidade do Alentejo.
A população:
Tal como noutras regiões do interior de Portugal Continental, a densidade populacional média é baixa, reduzindo-se, de um modo geral, de Oeste para Leste e de Norte para Sul. Trata-se também de uma região onde, desde há muito, a população absoluta tem vindo a conhecer um acentuado decréscimo, devido não só ao crescimento natural negativo (fruto da diminuição da natalidade) como ao êxodo rural (saída da população do campo para as áreas urbanas) e emigração externa (especialmente França e Alemanha).
Paisagens agrárias:
No Norte da Beira Baixa, ao longo das áreas que marginam os rios os rios e ribeiras, onde a água é abundante e o solo mais ou menos fértil, dominam os campos fechados e de pequenas dimensões (minifúndios), nos quais se pratica uma agricultura intensiva policultural (sem descanso do solo e com várias espécies vegetais em simultâneo). As culturas herbáceas (milho, batata, produtos hortícolas diversos, etc.) justapõem-se à cultura da vinha e de pomares (pêssegos, maças e peras, essencialmente)
Fig. 3 - A utilização do carro de bois para o transporte do milho.
Nas áreas planas do Sul e de Leste da Beira Baixa surgem já as grandes propriedades (latifúndios) e a agricultura intensiva policultural em campos fechados cede o lugar ao sistema extensivo em campos abertos (com pousio e sem vedações), ocupados em regime de afolhamento bienal: a cultura de cereais de sequeiro (trigo e centeio) alterna com o pousio ou, mais raramente, com culturas forrageiras. Estes campos de agricultura extensiva tanto se podem apresentar limpos como arborizados.
Extensos olivais cobrem vastas superfícies, principalmente nas encostas das colinas e dos relevos montanhosos e nas vertentes dos vales, onde também surge a vinha. No Sueste, o concelho de Idanha-a-Nova é a área maior produtora de tabaco de Portugal.
Povoamento:
Fig. 4 - Aldeia de Monsanto (Aldeia histórica considerada a aldeia mais portuguesa de Portugal)
Fig. 5 - Aldeia histórica de Idanha-a-Velha.
Excepto nalgumas áreas irrigadas de policultura intensiva, onde o povoamento é disperso, o povoamento rural dominante na Beira Baixa é o concentrado.
Indústria:
Fig. 6 - Cidade de Castelo Branco (bairros novos e parque industrial na periferia sul)
Apesar da Beira Baixa ser a região do interior de Portugal continental com maior valor bruto da produção industrial, o desenvolvimento deste sector económico é ainda bastante fraco. As indústrias mais representativas são a têxtil, concentradas nos dois principais centros urbanos desta região (Covilhã e Castelo Branco), a de lacticínios, a de celulose, a da serração e a dos curtumes.
Quanto ao turismo, a Beira Baixa é uma região rica em aldeias históricas e paisagens deslumbrantes. Simplesmente a não perder....

0 comments:

Leia as regras:
Todos os comentários são lidos e moderados previamente.
São publicados aqueles que respeitam as regras abaixo:

- O seu comentário precisa ter relação com o assunto do post;
- Em hipótese alguma faça propaganda de outros blogs ou sites;
- Não inclua links desnecessários no conteúdo do seu comentário;
- Se quiser deixar a sua URL, comente usando a opção OpenID.

O estado do tempo

Tempo Lisboa

Veja também outros links:

Parceiros

Tedioso: Os melhores links Uêba - Os Melhores Links À toa na Net Seus links em um só lugar!
Está no seu momento de descanso né? Entao clique aqui!