Como construir melhores amizades

Ser e ter um bom amigo enriquece o nosso dia-a-dia
As pessoas que têm milhares de amigos não são mais dignas de estima que as outras. Apenas aprenderam a construir melhores amizades. Ser um bom amigo e ter um bom amigo pode enrique­cer o nosso dia-a-dia e trazer satisfação para toda a nossa vida. Mas as amizades não acontecem de qual­ quer maneira. Têm de ser criadas e alimentadas. Tal como qualquer outra aptidão, construir amizades é algo que tem de ser praticado. Que é que faz de alguém um bom amigo? Aqui fi­cam algumas regras que descobri para criar amizades saudáveis.
Faça dos amigos uma prioridade.
Muitos de nós dizemos: «Eu bem que gostaria de ter mais amigos. Só que não tenho tempo.» No en­tanto, arranjamo-lo sempre para as coisas que queremos realmente. Para arranjar tempo para os amigos, bas­ta ser mais criativo. Arranjar tempo para os amigos pode significar deixar a casa um pouco desarrumada, descuidar um pouco o jardim ou não assistir ao programa preferido. Mas não será tudo isto um preço pequeno a pa­gar pelos prazeres da amizade?
Repare nas pequenas coisas.
Aju­dar os amigos em alturas difíceis é importante. Mas os gestos aten­ciosos aparentemente triviais são o que mantém vivas as amizades: o telefonema para dar os parabéns, a nota rabiscada num cartão de vi­sita, perguntando: «Está melhor da coluna?» Não são as longas conversas acerca do sentido da vida que nos fazem recordar os velhos amigos de quem se gosta mas sim breves comentá­rios como: «Boa sorte na entrevis­ta para o emprego.»
Arrisque-se a ser você mesmo.
Al­gumas pessoas evitam contar aos amigos os seus receios e emoções negativas. Mas em todas as ami­zades chega sempre o momento em que é necessária essa abertura. Há quem pense que, se deixar­mos os amigos verem os nossos de­feitos, eles gostarão menos de nós. No entanto, pode até acontecer o contrário. Na fase inicial da ami­zade, uma das formas de cativar é admitir os próprios defeitos.
Sempre que um amigo se quei­xa de ter feito qualquer coisa tola ou inoportuna, conto a história da­quela vez em que parei para pôr umas cartas no correio, quando ia a caminho do aeroporto, e foram os bilhetes do avião que meti na caixa ... Os amigos ajudam-nos ao dize­rem-nos que não somos os únicos a fazer asneiras. É por essa razão que é importante deixá-los conhe­cer o nosso verdadeiro - e im­perfeito - eu.
Aceite as diferenças.
Quando se passa muito tempo com um ami­go, podemos lembrar-nos da frase «a convivência gera conflitos». Tal­ vez comecemos a reparar em cer­tas características irritantes: «Ricardo está sempre tenso» ou «Melissa não devia lisonjear tanto as pessoas». Mas não seja exigente demais; os defeitos dos amigos podem ser vir­tudes disfarçadas. Uma receita para a amizade é a mistura certa de pontos em comum e de diferenças. É necessário ter pontos suficientes em comum para que haja entendimen­to e diferenças suficientes para que haja algo a trocar.
Não contabilize.
Muitas vezes, as pessoas prendem-se às obrigações da amizade: quem foi o último a telefonar ou a escrever? Uma pes­soa faz mais amigos quando deixa de se preocupar com o facto de receber tanto quanto dá. Esquecer o que se dá e lem­brar o que se recebe é o mais importante.
Deixe os seus amigos serem gene­rosos.
Pode ser melhor dar do que receber, mas é importante deixar que os amigos se apercebam de que são necessários. Se você se sente bem ao ajudar um amigo, dê-lhe também a oportunidade de ele o auxiliar.
Ria com os amigos.
É o riso que pode ale­grar o dia de um amigo e aproxi­mar bons companheiros. Em tempos difíceis, pode ajudar a liber­tar a tensão e dar àqueles de quem gostamos uma nova perspectiva so­bre uma situação aparentemente gra­ve ou desesperada.
Reate as amizades antigas.
Por ve­zes, pensamos que, por não ver­mos um amigo há 10 ou 20 anos, é difícil voltar a contactá-lo. Não necessariamente. Os amigos exigem muito de nós. Pedem-nos para escutarmos os seus problemas, tomarmos conta dos fi­lhos quando a baby-sitter está doen­te, lhes emprestarmos a máquina de cortar relva. Mas tudo isso vale a pena. Acabamos por reconhecer que um amigo é um presente que uma pessoa dá a si própria.

10 comentários:

  1. O que seria de nós sem amizades.
    Belo post.
    Abraços

    ResponderEliminar
  2. Belo artigo, Kmmad!

    Amigos são como o sal: dão sabor à vida!
    Beijocas,

    Milouska

    ResponderEliminar
  3. Olá, Kmmad!

    Gosto do seu artigo.
    Na verdade, os amigos são como o sal:
    dão sabor à vida!
    Beijokas,

    Milouska

    ResponderEliminar
  4. Olá,
    Caí aqui por mero acaso quando procurava fotos do buraco do ozono e não pude sair sem deixar os meus sinceros parbéns pelo seu blogue.
    Tem temas que são tratados de um modo muito simples e super prático.
    Voltarei :)
    melita (salteadoresdaarca.com)

    ResponderEliminar
  5. Olá,

    Magnífico texto. Muito bom e cativante a leitura. Além de, claro, trazer ótimas dicas para criar, manter e cativar amizades...

    Grande abraço
    Monthiel

    ResponderEliminar
  6. Olá.
    " Os amigos nunca são para as ocasiões.São para sempre.(...)Os amigos têm de ser inúteis. Isto é, bastarem só por existir e, maravilhosamente, sobrarem-nos na alma só por quem e como são" palavras do Miguel Esteves Cardoso...palavras sábias...
    Profceu

    ResponderEliminar
  7. Existe uma diferença muito grande entre conhecidos, colegas (unidos por alguns objetivos) e amigos. Porém, as pessoas confundem muito, e as vezes esperam demais.

    ResponderEliminar
  8. Não contabilize.
    Muitas vezes, as pessoas prendem-se às obrigações da amizade: quem foi o último a telefonar ou a escrever? Uma pes­soa faz mais amigos quando deixa de se preocupar com o facto de receber tanto quanto dá. Esquecer o que se dá e lem­brar o que se recebe é o mais importante.

    Professor.

    lembro-me de ter deixado um recado aqui, quando ainda não haiva nenhum. Mas certamente houve algum problema técnico.

    enfim, eu dizia que vontando de casa, logo após o almoço, eu pensava exatamente sobre a mensagem acima. E não só na situação entre amigos, mas em qualquer outra relação.

    abraços

    ResponderEliminar
  9. Tô escrevendo isso porque necessito desabafar e nao tive coragem de falar com alguem. Tenho 14 anos e toda essa miha vida venho tentantando entender o porque de eu ser uma pessoa tao fechada para as pessoas, pro mundo, vivo na net procurando depoimentos assim como o meu, preu tentar entender o que eu sou, sei que a amizade e muito importante mas do jeito q sou nao da, eu quero mudar,eu quero deixar essa timidez de lado descobrir o meu caminho, mas pra isso presciso de ajuda, eu posso ate parecer desesperado, mas é, entao quem se dispor... mateus.costa9991@hotmail.com...Agradeço.

    ResponderEliminar
  10. Estou com esse tipo de problema. O meu marido é um cara legal, mas não somos amigos. Já conversei com ele sobre isso e ele disse que é besteira. Então não falo das minhas coisas angústias ,tristeza ,trabalho,sonhos, nada.Ultimamente tenho estado muito triste com isso mas ele não sabe o motivo e nem me pergunta. O que faço?Me ajudem por favor.

    ResponderEliminar

Leia as regras:
Todos os comentários são lidos e moderados previamente.
São publicados aqueles que respeitam as regras abaixo:

- O seu comentário precisa ter relação com o assunto do post;
- Em hipótese alguma faça propaganda de outros blogs ou sites;
- Não inclua links desnecessários no conteúdo do seu comentário;
- Se quiser deixar a sua URL, comente usando a opção OpenID.

O estado do tempo

Tempo Lisboa

Veja também outros links:

Parceiros

Tedioso: Os melhores links Uêba - Os Melhores Links À toa na Net Seus links em um só lugar!
Está no seu momento de descanso né? Entao clique aqui!