Os principais obstáculos à amizade no casamento

Os entraves à amizade no matrimónio
Se há desejo que prevaleça sobre todos os que os casais têm em relação ao matrimónio, é o de serem bons companheiros para toda a vida. Enquanto muitos homens e mulheres sabem que o amor é essencial para que exista essa ligação para toda a vida, muitas vezes não se apercebem de que o amor sem uma amizade íntima é apenas uma ilusão hormonal. Não se pode desejar outra pessoa durante um longo período de tempo sem realmente se ser o melhor amigo dessa pessoa. A ausência de amizade leva, inevitavelmente, a um «conflito» de expectativas que gera desconfianças, confusão ( e o subsequente afastamento.
Amizades conseguidas entre ma­rido e mulher misturam sentimentos de ternura e companheirismo com sensualidade e paixão - uma tarefa por vezes difícil. Eis os cinco principais obstáculos à amizade no ca­samento:
1. Julgamentos errados.
Uma das razões pelas quais os maridos e as mulheres não são mais camaradas é assumem inconscientemente a ideia de que um companheiro é dife­rente de um amigo. Tais pessoas con­seguem descrever o companheiro como um amante, uma pessoa que adoram ou alguém em relação a quem experimentam um profundo sentimento de protecção. O que muitas vezes se exclui é a noção de que um cônjuge é também um par­ceiro, um amigo, um companheiro. Tais pessoas têm do casamento uma visão ultrapassada, que pressu­põe que ele seja uma amálgama de conveniências e de necessidades, mas não uma amizade. Vão procurar fora do casamento uma coisa tão simples e corrente como um amigo. São muitas vezes mais generosos para com os outros do que para com o seu par.
2. Ausência de partilha.
Durante a fase romântica de uma relação, os sentimentos de excitação, de felici­dade e de êxtase dominam tudo. Mas é a partilha dos nossos receios e preo­cupações que torna possível uma ver­dadeira intimidade. A paixão «fala» a linguagem do amor; a amizade submete-o ao teste mais exigente. O sentimento de termos alguém ao nosso lado para o melhor e para o pior é essencial à amizade.
3. Relação desigual.
A amizade ocorre somente quando considera­mos o nosso companheiro como nosso igual. Contudo, em vez de procurar que haja igualdade no dar e receber dentro de uma relação, pode­mos impor expectativas não realistas ao nosso consorte, indo contra a construção de uma amizade. Evidentemente, os amigos podem criticar-se mutuamente com grande abertura. Ao não permitir isto corta-se a comunicação e impede-se a amizade de florescer.
4. Não aceitação.
Como maridos e mulheres, pensamos que podemos exigir do nosso companheiro que mude esta ou aquela maneira de ser. Ao mesmo tempo, queremos que o nosso companheiro seja nosso amigo, esquecendo que os amigos toleram as diferenças. O sentimento de aceitação e com­ preensão que obtemos de uma ami­zade é o que a torna viva e reconfor­tante. Não esperamos que os nossos amigos ajam à nossa imagem, mas, admitindo-o ou não, muitos de nós esperamos que o nosso companheiro faça exactamente isso.
5. Ressentimentos.
Para atingir a verdadeira amizade no casamento, os velhos ressentimentos e rancores têm que ser postos de parte. Repare que não digo solucionados. A maior parte dos velhos conflitos nunca será completamente resolvida, e as tenta­tivas de o fazer são, na maioria das vezes, esforços velados de conseguir uma vitória final. Devemos limitar-nos a pô-los de parte e prosseguir com as nossas vidas.
Quando insistimos em repisar sen­timentos negativos que bloqueiam as possibilidades da amizade, não é que queiramos torturar os nossos esposos. Acreditamos que o relembrar destas feridas do passado nos protegerá de algum modo de agressões futuras. Vestimos esta armadura para nos protegermos de novos desaponta­mentos. Qual é a solução? Os esposos que queiram aproximar-se mutuamente só o poderão fazer modificando o seu comportamento, não as suas pala­vras. Quando um deles se conduzir de uma forma viva e empenhada, o outro responderá normalmente de forma positiva.
Muitos casais são bastante mais egoístas um com o outro do que ima­ginam. As pessoas expandem-se com os amigos, procuram áreas de interesse comum, estão atentas aos acon­tecimentos que ocorrem nas vidas destes. Acontece com demasiada fre­quência uma outra história quando se trata da pessoa com quem estão casadas. A amizade pratica-se. Acontece quando fazemos algo que a encoraje, quando damos um passo na direcção do nosso companheiro, quando nos colocamos na esfera dos seus interes­ses e necessidades. Todos estamos fundamentalmente sozinhos nesta vida, mas a amizade enriquece o ca­samento, fazendo-nos sentir aceites, compreendidos e amados.

5 comentários:

  1. Você sempre acertando na "veia" hein Km Mad...vlw...(ah..coloquei veia entrea aspas para não haver confusão com "véia" que, em nossa nova língua,perdeu o acento kkk. Forte abraço!

    ResponderEliminar
  2. Poxa, Km Mad...

    Desde ontem fico recebendo textos que caem em minha relação certinhos...Nossa, como essa notícia encaixa nas minhas angústias...
    "São muitas vezes mais generosos para com os outros do que para com o seu par".(Oh, Deus!)
    "A não aceitação das críticas, existentes numa amizade verdadeira, corta a comunicação". (NOSSA!)
    "Amigos toleram as diferenças" (ACABOU A AMIZADE ENTÃO).
    "Ressentimentos precisam ser postos à parte" (ATÉ QUANDO? QUE TANTO DE RESSENTIMENTO?)

    LINDO a descrição sobre a amizade NO CASAMENTO. IMPRESCINDÍVEL.

    Que pena! Só me resta pedir SABEDORIA para lidar com os Julgamentos errados, Ausência de partilha, Relação desigual, Não aceitação e Ressentimentos, tão acentuados.

    Ótimo mesmo, só difícil de aceitar a realidade.

    ResponderEliminar
  3. Concordo plenamente , ontem mesmo comentei um post que li sobre possibilidade de haver amizade entre divorciados.Se a relação não foi baseada em companheirismo e amizade ela esta fadada a terminar ou permanecer pela aparências .


    Parabéns pelo post

    abraços

    ResponderEliminar
  4. Você é demais. Acertou em cheio. A amizade é fundamental. No meu caso, estou experimentando isso agora. Depois de 14 anos de relacionamento. Deus me está ensinando. É bem mais fácil encarar assim. Quanto às mágoas...é difícil e nos enganamos muito com isso. Achamos que já perdoamos...mas...de repente nos pegamos com cobrancas. As mulheres cobram muito.
    Meu amigo sou sua seguidora. E me orgulho disso.
    Que Deus te abencoe.
    Abracos.

    ResponderEliminar
  5. Excelente texto. A amizade com certeza é o grande pilar do amor.
    Abraços

    ResponderEliminar

Leia as regras:
Todos os comentários são lidos e moderados previamente.
São publicados aqueles que respeitam as regras abaixo:

- O seu comentário precisa ter relação com o assunto do post;
- Em hipótese alguma faça propaganda de outros blogs ou sites;
- Não inclua links desnecessários no conteúdo do seu comentário;
- Se quiser deixar a sua URL, comente usando a opção OpenID.

O estado do tempo

Tempo Lisboa

Veja também outros links:

Parceiros

Tedioso: Os melhores links Uêba - Os Melhores Links À toa na Net Seus links em um só lugar!
Está no seu momento de descanso né? Entao clique aqui!