Memória de infância

É bom recordar os bons momentos de infância
Sempre considerei as florestas como locais de singular encanto.
O meu entu­siasmo estará relacionado com o facto de ter tido a sorte de passar férias, durante vários anos da minha infância, junto a uma pe­quena floresta tropical densa numa ilha do Pacífico Sul.
Em consequência disso, passei uma boa parte dos meus verdes anos de formação vagueando através do seu interior silencioso e compacto.
Em termos de florestas tropicais, esta não era grande coisa (no máximo 12 km2), mas, para uma criança entre os 4 e os 9 anos, era enorme e cheia de encantos.
Existem milhares de espécies de árvores na Terra, e não seria surpresa para mim se a maioria estivesse lá representada. Ne­nhuma delas parecia repetir-se.
Havia mangueiras, mognos, tecas, bananeiras, mamoeiros, laranjeiras-silvestres, limoeiros-anões, goiabeiras, uma grande variedade de palmeiras, um pinheiro tro­pical solitário, balsas (apenas um quinto do peso do carvalho inglês e a mais leve madeira em uso) e itaúbas-brancas e guaiacos, que estão entre as mais pesadas e duras.
Todas as árvores eram enfeitadas de trepadeiras, lianas e epífitos; e, no alto, cresciam orquídeas, cachos de flores brilhantes e iridescentes que pareciam lançar luz própria como pequenos cande­labros.
Há vários anos, voltei à ilha e corri à floresta ... para constatar, infelizmente, que já não exis­tia.
Ainda restam umas árvores, mas a maior parte foi devastada por um furacão particularmente violento.
A minha flo­resta pode ter desaparecido na realidade, mas continua a florescer aos olhos da mi­nha mente, tão fresca e encantada como dantes; e, ao viajar diariamente entre a minha casa e o trabalho em comboios ou autocarros su­perlotados, consigo invocá-la, com imensa saudade, sem a menor dificuldade.

4 comentários:

  1. Belo texto, que me levou também aos dias da infância, dos bons momentos que passei. Guardo várias lembranças, mas a melhor delas foi a primeira vez que fui ao circo. Achei tudo gigante, fiquei impressionado com o trapézio. Não dá pra esquecer, pois uma semana depois, subi na pia e pulei para imitar os artistas, resultado: quebrei o dente, não esqueço mesmo.

    ResponderEliminar
  2. KmMad,A infância é a mais grata das lembranças,pois contávamos com um item que jamais teremos,a inocência.
    tenho as mais belas lembranças dessa época.
    Um grande abraço,amigo.

    ResponderEliminar
  3. Cara!
    Que bacana voce ter tido o privilégio de conhecer algo tão belo, e que mesmo praticamente não existindo mais, ficou gravado na sua memória.
    Tem coisas que por mais simples que possam parecer aos olhos dos outros, tem um enorme significado pra nós.
    Muito legal o seu post.
    Grande abraço!

    ResponderEliminar
  4. Km Mad

    Lembranças de infância todos temos, e quase sempre boas, de coisas que fizemos e que vivemos que jamais poderão voltar. E outras nem poderáo ser revivida em outra época.

    ResponderEliminar

Leia as regras:
Todos os comentários são lidos e moderados previamente.
São publicados aqueles que respeitam as regras abaixo:

- O seu comentário precisa ter relação com o assunto do post;
- Em hipótese alguma faça propaganda de outros blogs ou sites;
- Não inclua links desnecessários no conteúdo do seu comentário;
- Se quiser deixar a sua URL, comente usando a opção OpenID.

O estado do tempo

Tempo Lisboa

Veja também outros links:

Parceiros

Tedioso: Os melhores links Uêba - Os Melhores Links À toa na Net Seus links em um só lugar!
Está no seu momento de descanso né? Entao clique aqui!