O planalto transmontano - Nordeste de Portugal

Trás-os-Montes : Nordeste de Portugal
Trás-os-Montes, é uma província de Portugal Continental, criada pela divisão administrativa de 1936 que compreende sobretudo vastas extensões planálticas elevadas (à volta dos 700-800 metros de altitude), dominadas por algumas serras não muito altas e cortadas por bacias que correspondem a abatimentos tectónicos e por entalhes erosivos muitas vezes guiados por acidentes estruturais.

O clima desta região reflecte a influência da cadeia montanhosa que abriga a região a Oeste (formada entre outras, pelas serras do Gerês e da Peneda) e a da sua posição no conjunto da Península Ibérica (note-se que o Nordeste Transmontano é a área portuguesa mais afastada do Oceano Atlântico, a uma distância pouco superior a 200 Km). Se no Noroeste de Portugal a precipitação chega a ultrapassar os 3000 mm, já na região do Nordeste Transmontano esta vai diminuindo à medida que se caminha para o interior, chegando a atingir apenas 600 mm nos planaltos orientais e menores quantidades, ainda, nas áreas rebaixadas, onde as influências atlânticas mal conseguem penetrar.

Quanto à temperatura, os contrastes térmicos acentuam-se do mesmo modo em Trás-os-Montes: Invernos mais frios e secos (com temperaturas inferiores a zero graus e com o solo coberto de neve, por vezes durante largos períodos) e Verões mais quentes. Há mesmo um velho ditado que diz que nesta região tem-se três meses de Inverno e três meses de inferno. Estas características físicas influenciam claramente as actividades rurais ainda muito ligadas às tradições.

No planalto transmontano, a organização do espaço rural está estruturada a partir das unidades de povoamento aglomerado (casas muito juntas umas das outras), características da região.

Em torno de cada aldeia ficam primeiramente as culturas mais delicadas e exigentes, como as hortícolas (antes também o linho), que é preciso regar e estrumar em abundância. Essas culturas aparecem também ao longo dos cursos de água, mas aí dominam os prados naturais, designados por lameiros.

A seguir, ficam os campos de cereal abertos, tradicionalmente agrupados em dois sectores, ou folhas, que permitem a alternância de centeio com um ano de pousio. Acrescente-se ainda a presença de àrvores de fruto, muitas vezes no anel de agricultura intensiva (agricultura onde o solo não tem descanso - sem pousio), junto à aldeia, e a vinha em alguma encosta soalheira mais propícia.
Trás-os-Montes é assim uma região que tem os seus encantos por as suas gentes continuarem a manter, em grande parte, as suas tradições. É de facto um local que se aconselha a visitar e a preservar.

3 comentários:

  1. Ah, Portugal. Toda hora que vejo textos e imagens desse belo país já penso em guardar dinheiro para visita-lo.

    ResponderEliminar
  2. Linda Portugual!!!
    Engraçado que o nosso Nordeste aqui no Brasil é intenso de quente!! E o nosso inverno aqui no NOrdeste é marcado por períodos de chuva!!
    Muito bom conhecer mais da cultura dos nossos patrícios!!
    Abraços

    ResponderEliminar
  3. ahhhh portugal....cada vez que lembro que moro aqui tenho vontade de me atirar de cime de uma ponte...

    ResponderEliminar

Leia as regras:
Todos os comentários são lidos e moderados previamente.
São publicados aqueles que respeitam as regras abaixo:

- O seu comentário precisa ter relação com o assunto do post;
- Em hipótese alguma faça propaganda de outros blogs ou sites;
- Não inclua links desnecessários no conteúdo do seu comentário;
- Se quiser deixar a sua URL, comente usando a opção OpenID.

O estado do tempo

Tempo Lisboa

Veja também outros links:

Parceiros

Tedioso: Os melhores links Uêba - Os Melhores Links À toa na Net Seus links em um só lugar!
Está no seu momento de descanso né? Entao clique aqui!