Enfarte do miocárdio

O que é o enfarte do miocárdio
O enfarte do miocárdio dá-se quando a irrigação sanguínea do músculo cardíaco diminui ou é suprimida após a oclusão de uma ou mais artérias coronárias. O coração, sem oxigénio, morre.
O enfarte do miocárdio é uma doença que na Europa afecta por ano quase um milhão de pessoas e em 1/3 dos casos leva à morte.
Se o enfarte afectar somente uma zona muito limitada do músculo cardíaco, as consequências não são graves. Às vezes não há sintomas: neste caso o enfarte diz-se silente. Se a lesão do músculo cardíaco for muito grande pode provocar a morte ou uma deficiência (cuja gravidade é variável).
Sintomas do enfarte do miocárdio
O primeiro sintoma do enfarte do miocárdio é a dor:
--> dor espontânea ou provocada por esforço, emoção, stress;
--> dor leve ou sensação de opressão ou de aperto no peito, de ardor ou de inchaço;
--> dor no meio do peito que se estende em direcção das costas, do queixo ou do braço esquerdo;
--> perturbações do ritmo cardíaco (arritmia), palpitações;
--> suor frio, enjoo, vómito, ansiedade ou dificuldade na respiração podem acompanhar a dor.
Qualquer sintomas de enfarte do miocárdio exigem o internamento imediato.
Qualquer demora pode afectar a sobrevivência.
Causas do enfarte do miocárdio
São muitas as razões que contribuem para aumentar o risco de ser acometido por enfarte do miocárdio:
--> idade;
--> precedentes familiares de enfarte em idade precoce;
--> sexo masculino;
--> colesterol alto;
--> hipertensão;
--> diabetes;
--> obesidade,
--> fumo.
O enfarte do miocárdio é quase sempre causado pela formação de um coágulo de sangue que obstrui uma artéria coronária. Trata-se neste caso de uma trombose coronária. É mais raro acontecer que o estreitamento ou a contracção temporária de uma artéria coronária possa provocar um enfarte.
Tratamento do enfarte do miocárdio
Quando consultar um médico?
Na presença de quaisquer sintomas assinalando o início de um enfarte, consulte um médico imediatamente. Se não o encontrar, dirija-se com a maior urgência para o pronto socorro do hospital mais próximo.
O que faz o médico?
O médico faz um exame clínico completo e manda fazer um ou mais electrocardiogramas para medir a função e o ritmo cardíacos. Manda fazer também um exame do sangue para medir as enzimas expelidas durante o enfarte.
Qual o tratamento para o enfarte do miocárdio?
Até alguns anos atrás o tratamento consistia simplesmente em aliviar a dor, subministrar remédios que servissem para regularizar o ritmo cardíaco e, se necessário, fazer uma reanimação cardíaca com estimulações eléctricas (com desfribilador) ou químicas.
Hoje em dia os remédios mais avançados são substâncias que conseguem não só evitar a formação de coágulos mas também derreter rapidamente os que provocam a maioria dos enfartes. A eficácia dessas novas substâncias depende da rapidez da sua subministração; para reduzir o risco de lesões musculares graves devem ser tomadas, no mais tardar, dentro de três horas a partir do momento do início da crise.
O que fazer por si só?
Consultar um médico o mais rapidamente possível: toda e qualquer demora pode causar a morte. Chamar, no caso de urgência, uma ambulância.
Qual a evolução do enfarte do miocárdio?
As células do músculo cardíaco que, devido à interrupção do afluxo do sangue ficam sem oxigénio, começam a morrer.
Um enfarte leve dura menos de uma hora e não tem consequências graves. Um tratamento apropriado faz com que o músculo cardíaco recupere a sua função com sequelas que podem ser insignificantes.
As crises mais graves destroem uma área relevante provocando uma deficiência permanente ou até mesmo a morte.
As consequências de um enfarte, mesmo se não for muito grave, podem ser muito sérias: ritmo cardíaco acelerado e irregular impedindo o coração de desenpenhar a sua tarefa vital: bombear o sangue.
Porém, 50% das pessoas afectadas por enfarte do miocárdio voltam a ter uma vida normal após poucos meses. Tomar regularmente doses mínimas de aspirina reduz o risco de recaída e de complicações.
Como evitar o enfarte do miocárdio?
--> deixar de fumar;
--> manter o peso normal para o próprio físico;
--> alimentação com pouca gordura animal;
--> actividade física regular mas sem excessos;
--> manter no nível normal a tensão arterial, o colesterol, a glicemia.
Nota: Não esqueça que uma em cada três pessoas acometidas por enfarte pode morrer.

4 comentários:

  1. Gosto muito dos seus artigos. Continue assim. Felicidades.

    ResponderEliminar
  2. O artigo está ótimo, porém não é INFARTE E SIM INFARTO.
    ABRAÇOS..!

    ResponderEliminar
  3. Vlw pelo postagem ! Tenho q entregar o trabalho de doenças cardiovasculares amanhã ! kkkkkkkkkk' beijinhos ,fik cm DEUS ☻

    ResponderEliminar

Leia as regras:
Todos os comentários são lidos e moderados previamente.
São publicados aqueles que respeitam as regras abaixo:

- O seu comentário precisa ter relação com o assunto do post;
- Em hipótese alguma faça propaganda de outros blogs ou sites;
- Não inclua links desnecessários no conteúdo do seu comentário;
- Se quiser deixar a sua URL, comente usando a opção OpenID.

O estado do tempo

Tempo Lisboa

Veja também outros links:

Parceiros

Tedioso: Os melhores links Uêba - Os Melhores Links À toa na Net Seus links em um só lugar!
Está no seu momento de descanso né? Entao clique aqui!