O Coração: como funciona; principais doenças cardíacas.

O Coração
O coração é um órgão cuja função é de importância vital para garantir a circulação do sangue no organismo. Bombeia com movimentos ritmados mantendo irrigados todos os outros órgãos. Isto ocorre com um circuito duplo simultâneo: o primeiro circuito passa através dos pulmões onde o sangue solta o gás carbónico e recebe o oxigénio do ar através dos alvéolos pulmonares. O segundo atinge todos os órgãos alimentados a partir da mesma artéria principal, a aorta.

Como é formado o coração? O coração é um órgão oco, muscular, do tamanho de um punho, situado na cavidade torácica entre os dois pulmões, protegido pelo esterno. A massa do coração encontra-se no centro do tórax e somente o seu ápice é direccionado para a esquerda. É forrado por duas membranas que facilitam o seu movimento: uma mais interna, o endocárdio, e o pericárdio. O coração é constituído por duas partes principais, direita e esquerda, as quais, por sua vez, constam de duas cavidades: aurículas e ventrículos.

As aurículas:
As aurículas recebem o sangue das veias. As veias pulmonares levam à aurícula esquerda o sangue que foi oxigenado pelos pulmões; as veias cavas, inferiores e superiores, levam para a aurícula direita o sangue cheio de impurezas.
Os ventrículos:
Os ventrículos, cavidades internas inseridas nos fortes músculos do miocárdio, ao contraírem-se bombeiam o sangue do coração para as artérias. O esquerdo alimenta a aorta que envia o sangue a todos os órgãos; o direito alimenta a artéria pulmonar que envia o sangue aos pulmões.
Nota: na figura em cima pode-se observar a secção das válvulas. Estas garantem o fluxo do sangue numa única direcção: da aurícula para o ventrículo e do ventrículo para a aorta e para a artéria pulmonar e não ao contrário.
As válvulas: Entre aurícula e ventrículo de cada uma das duas partes do coração há uma válvula que, no momento da contracção dos ventrículos, age como mecanismo de não retorno impedindo o refluxo do sangue. Outras duas válvulas com a mesma função situam-se entre os ventrículos e as artérias que saem do coração. Resumindo: a parte direita do coração recebe e torna a enviar o sangue venoso, cheio de gás carbónico e sem oxigénio. A parte esquerda do coração recebe e bombeia nos vasos sanguíneos o sangue arterial enriquecido com oxigénio e purificado do excesso de gás carbónico. As cavidades do coração são forradas por urna membrana fina: o endocárdio. A estrutura do coração pode ser resumida da seguinte maneira: - três camadas: pericárdio, músculo cardíaco ou miocárdio, endocárdio; - duas partes separadas: direita e esquerda; - quatro cavidades: duas aurículas e dois ventrículos.
A irrigação do coração:
A parte funcional do coração é um músculo que, corno todos os músculos, necessita de receber oxigénio e substâncias nutritivas. Esta função cabe às artérias coronárias que partem da aorta logo acima da válvula aórtica onde sai o ventrículo esquerdo. Há duas artérias coronárias principais, direita e esquerda, que através de diversas ramificações distribuem o sangue em todo o miocárdio. Qualquer problema nas coronárias provoca urna afecção do miocárdio: angina do peito ou enfarte.
Nota: O coração é abastecido de oxigénio e substâncias nutritivas através das artérias coronárias que saem da aorta e ramificam-se em vasos sanguíneos cada vez mais pquenos.
Como funciona o coração?
O coração é o único músculo estriado do organismo cujo funcionamento é independente da vontade. O coração possui um sistema autónomo de regulação e o sistema nervoso age somente no sentido de adaptar o seu funcionamento às necessidades dos órgãos periféricos. O mecanismo essencial de funcionamento do coração, isto é a contracção das fibras musculares do miocárdio, é accionado por impulsos eléctricos que têm a sua origem no próprio coração. Em condições normais os impulsos nascem no nó de fibras nervosas (cujo nome é nó sino-atrial) que se encontra na aurícula direita. O impulso desce pela parede entre os dois ventrículos antes de irradiar-se ao conjunto do miocárdio. Ao continuar do impulso as fibras musculares contraem-se. Desta maneira, o movimento de contracção das aurículas leva o sangue para os ventrículos os quais, por sua vez, bombeiam o sangue nas artérias. O nó sino-atrial regula a frequência da pulsação cardíaca, mas também pode ser influenciado pelas informações transmitidas pelo sistema neurovegetativo. O ritmo das pulsações, de consequência, acelera ou reduz-se. O mau funcionamento do nó sino-atrial ou dos feixes de nervos que dali saem cria perturbações no ritmo cardíaco, sendo a arritmia a mais comum. O electrocardiograma regista os impulsos eléctricos e a sua progressão no miocárdio.
A regulação cardíaca:
O coração trabalha sem parar. A cada pulsação, de 60 a 80 por minuto, bombeia em torno de 70 ml de sangue. É fácil controlar a frequência das pulsações sentindo a artéria radial, no pulso, ou a artéria carótida, no pescoço. Ao fazer exercício físico, ou ao submeter os músculos a esforço, a necessidade de oxigénio aumenta e o coração acelera o ritmo das contracções. A frequência máxima das pulsações diminui com a idade: são 220 por minuto ao nascer, mas baixam progressivamente até às 150 aos 60 anos de idade: este facto limita a capacidade do organismo de adaptar-se ao esforço. Contudo, uma frequência demasiado elevada, como no caso da taquicardia, não é útil pois os ventrículos não tendo tempo suficiente para se encherem, trabalham inutilmente.
O coração e o desporto:
Como todos os outros músculos, o miocárdio torna-se mais possante e suporta melhor o esforço ao se praticar desportos. Com o exercício físico a frequência cardíaca diminui mas maiores são as possibilidades de aumentá-la se for necessário. O aumento do volume do coração no desportista pode ser visto com uma radiografia do tórax. Para ser eficaz o treino deve ser regular, sem longas interrupções e, sobretudo, não deve superar o limites de resistência do coração. Um exercício físico que empenhe 80% da frequência máxima é o mais proveitoso e o menos arriscado.
A circulação sanguínea:
A circulação sanguínea subdivide-se em duas partes: pequena e grande circulação. A pequena circulação está localizada dentro do tórax e é formada pelo conjunto das artérias, dos capilares e das veias entre o coração e os pulmões. Do ventrículo direito o sangue passa para a artéria pulmonar que se bifurca em dois ramos, um para cada pulmão. Daqui o sangue irradia-se na rede capilar que forra os alvéolos do pulmão e volta ao coração através das veias do pulmão que alimentam a aurícula esquerda. A grande circulação distribui o sangue em todo o organismo. A partir do ventrículo esquerdo a aorta - a artéria principal do corpo - irradia-se em direcção da cabeça, dos membros superiores, dos órgãos abdominais e dos membros inferiores. Após ter alimentados os vários órgãos o sangue volta ao ventrículo direito através das veias cavas, superior e inferior. Muitos são os factores que regulam a circulação. Em primeiro lugar os cardíacos: a frequência das pulsações e a força das contracções do músculo cardíaco. O sistema neurovegetativo exerce um controlo duplo sobre estes factores: alguns nervos que nascem no bulbo e seguem o percurso do nervo vago têm um efeito moderador, isto é, diminuem a frequência e a força cardíacas. Ao contrário, outros nervos que nascem na medula espinal têm um efeito acelerador no coração. Uma emoção forte ou situações que estimulam os centros moderadores podem ser suficientes a provocar uma parada do coração (síncope) de tipo vaso vagal (do nome do nervo vago ou pneumogástrico). O efeito moderador prevalece sobre o acelerador e, se os dois nervos forem seccionados ou anestesiados, há uma aceleração imediata da frequência cardíaca. Outros factores estão ligados às artérias: à sua elasticidade ou rigidez, à sua possibilidade de contrair-se ou dilatar-se sob a influência do sistema neurovegetativo em presença ou ausência de obstáculos tais como as placas da esclerose arterial. Enfim há os factores ligados ao volume do sangue em circulação. Quantidade que, conforme a pessoa, pode ser excessiva ou insuficiente para o seu retículo vascular. Através a medida da tensão arterial e do fluxo vascular ou cardíaco o médico pode verificar o funcionamento da circulação.
As principais doenças cardíacas
As doenças cardiovasculares podem ser assim divididas: - as malformações congénitas: entre elas as insuficiências das válvulas ou a junção anómala dos grande vasos são as mais graves. Algumas são benignas e necessitam somente de uma monitorização atenta; outras podem levar à morte e devem ser operadas com a maior urgência; - as anomalias adquiridas das válvulas, entre elas as temíveis complicações do reumatismo poliarticular agudo; - as anomalias da irrigação sanguínea do coração através das artérias coronárias: estas anomalias são responsáveis pela angina do peito e pelo enfarte do miocárdio; - as perturbações do ritmo cardíaco devido ao funcionamento anormal dos impulsos eléctricos ou a complicações de outras doenças cardíacas; - as insuficiências cardíacas, quando uma ou ambas as partes do coração não possuem a força suficiente a garantir uma circulação normal; - o aumento ou a diminuição da tensão arterial cujas causas são as mais diversas; - as infecções ou inflamações da parede interna, o endocárdio, ou da parede externa, o pericárdio; - as alterações do músculo cardíaco não provoca das por defeito de irrigação como, por exemplo, as miocardiopatias.
Os principais exames cardíacos:
As doenças cardíacas podem provocar uma grande variedade de sintomas muitos diferentes que ajudam o médico a formular o diagnóstico. Entre as afecções mais frequentes do coração encontram-se os sopros, as dores no tórax, as alterações do pulso e da pulsação, as palpitações. Outros sintomas são a cianose (cor azulada dos lábios, das orelhas e das unhas), os edemas (retenção de líquido nos tecidos subcutâneos dos membros inferiores), a dilatação das veias superficiais, principalmente as do pescoço e do fígado. Todos estes sintomas são detectados com o exame clínico geral realizado pelo médico. Outros elementos úteis para o diagnóstico são os seguintes: - o controlo do pulso: na medicina ocidental é usado para verificar o ritmo e a frequência do batimento cardíaco e as condições das artérias nas extremidades dos membros. Na medicina oriental e na acupunctura o pulso dá informações sobre o funcionamento dos vários órgãos; - a medição da tensão arterial com os seus dois componentes: tensão sistolar, ou máxima, que corresponde à fase de contracção do coração; tensão diastólica, ou mínima, que corresponde à fase de descontracção. A máxima normal situa-se entre 100 e 150 mm de mercúrio, enquanto que a mínima situa-se entre 60 e 100. A diferença entre os dois valores indica também a força das pulsações cardíacas; - a auscultação com estetoscópio: foi um dos grandes avanços da medicina no século XIX. Dependendo de onde o estetoscópio for apoiado podem ser captados os sinais sonoros do funcionamento das várias partes do coração. Desta maneira auscultam-se as contracções das aurículas e dos ventrículos, o abrir-se o e fechar-se das válvulas e o trânsito do sangue de uma cavidade para a outra.
Os exames complementares:
São necessários quando o exame clínico não basta e para confirmar o diagnóstico. Electrocardiograma (ECG): é o exame mais comum e regista a actividade eléctrica do coração e detecta as suas anomalias e as causas. Radiografia e radioscopia: permitem estudar a forma do coração e visualizar as pulsações e a sua amplitude, facto difícil de se estabelecer com outros meios. Fonocardiograma: é o registo gráfico em papel dos sinais sonoros cardíacos amplificado por equipamentos muito sensíveis e combinado com uma gravação eléctrica. Cateterização cardíaca: actualmente é um exame muito usado e é indispensável para o diagnóstico da angina do peito mas também para avaliar as possibilidades de operação. Introduz-se uma sonda na artéria do fémur: a sonda sobe até o coração sob controlo radiológico constante para ser guiada, em seguida conforme a necessidade, em direcção das artérias coronárias ou das cavidades cardíacas. Outros exames utilizados normalmente são o registo contínuo, durante 24 horas, do electrocardiograma ou da tensão arterial (Holter), a telerradiografia do coração, a ultra-sonografia cardíaca, a cintilografia. Os exames de laboratório também fornecem informações úteis: no do sangue são doseados os elementos presentes em quantidades mínimas tais como as enzimas das células cardíacas.

13 comentários:

  1. oiew

    acheii mto legal essa meteria sobre o coraçao!!
    com ela fiz todo o meu trabalho !!

    bjuz

    ResponderEliminar
  2. Que legal, lembrei dos bons tempos de colégio. Acho que ainda tirava um dez. Ciências e biologia eram minhas aulas preferidas, além de artes e história.
    Beijo

    ResponderEliminar
  3. boa tarde!
    alguem sabe me dizer qual é o objetivo do sistema elétrico do coração?
    obrigado!!

    ResponderEliminar
  4. Esse site é muito legal tudo que eu precisei eu achei aqui espero que os outros possa fazer sites otimos como esse.!`
    ObrigaadOO.!

    ResponderEliminar
  5. faço curso de enfermagem(superior e técnico)
    achei otimo o post!
    fiz um otimo slid com o material..
    obg..
    continuem assim (Y)

    ResponderEliminar
  6. faço faculdade de farmacia em vitoria-ES
    eu achei essa materia de cardiovascular ou circulatorio muito
    interessante pois estudamos o caraçao e seu funcionamentoe uma materia que me ajudou a entender outros orgaos do nosso corpo
    parabens pelo site.bjos♥

    ResponderEliminar
  7. achei ótimo;apesar de ser leigo no assunto,mas tirou augumas duvidas a respeito que estou sentindo. valeu!

    ResponderEliminar
  8. eu sou estudante e me chamo Adriely-sp.Mais achei muito interessante essa matéria "O coração" aprendi muito como meu coração funciona as ,doenças cardiovasculares e etc.bjos,tchau,thau

    ResponderEliminar
  9. Tenho um amigo que, sempre ao fazer o eletrocardiograma, apresenta "bloqueio do ramo esquerdo" e sua pulsação fica abaixo de 60 pulsos por minuto, chegando a 48 pulsos por minuto. Pratica atividades físicas e leva uma vida normal. Esperava encontrar aqui uma explicação para esse fato.

    ResponderEliminar
  10. a imagem de cima nao da para ver nada do que esta escrito em baixo do coraçao

    ResponderEliminar
  11. fizes te o meu traballo de casa DE EF ES BWE FIXE

    ResponderEliminar
  12. Valeu sou estudante tecnologo radiologia esse Syte arrasou,com mha provas,prabens

    ResponderEliminar
  13. Valeu sou estudante tecnologo radiologia esse Syte arrasou,com mha provas,prabens

    ResponderEliminar

Leia as regras:
Todos os comentários são lidos e moderados previamente.
São publicados aqueles que respeitam as regras abaixo:

- O seu comentário precisa ter relação com o assunto do post;
- Em hipótese alguma faça propaganda de outros blogs ou sites;
- Não inclua links desnecessários no conteúdo do seu comentário;
- Se quiser deixar a sua URL, comente usando a opção OpenID.

O estado do tempo

Tempo Lisboa

Veja também outros links:

Parceiros

Tedioso: Os melhores links Uêba - Os Melhores Links À toa na Net Seus links em um só lugar!
Está no seu momento de descanso né? Entao clique aqui!