Violência em meio escolar

Indisciplina/Violência nas escolas
Com este artigo pretende-se fazer uma breve reflexão sobre a questão da violência em meio escolar. A violência em meio escolar têm sido ultimamente vivenciada nas nossas escolas, apresentando-se como uma fonte de stress nas relações interpessoais, particularmente quando associada a situações de conflito em sala de aula. Mas, além de constituir um “problema”, a violência na escola tem algo a dizer sobre o ambiente escolar e sobre a própria necessidade de um avanço pedagógico e institucional.
Algumas características da violência em meio escolar
A violência nas escolas não é um fenómeno estático que tem mantido as mesmas características ao longo das últimas décadas. Ao contrário, está “evoluindo” cada vez mais nas nossas escolas. Sob diversos aspectos, a violência escolar, hoje, diferencia-se bastante daquela observada em décadas anteriores. A violência escolar apresenta, actualmente, expressões diferentes, é mais complexa e “criativa”, e parece aos professores mais difícil de a equacionar e resolver de um modo efectivo. Por exemplo, quando vários alunos de uma turma do ensino básico, mesmo formada por grupos divergentes entre si, são capazes de se organizar e estabelecer atitudes de indisciplina colectiva, que vão desde a prática de um mesmo tipo de tratamento evasivo durante as aulas de determinado professor, passando por estratégias para o intimidar ao ponto de o forçar a abandonar a sala de aula ou mesmo a escola, até processos complexos de contestação da orientação pedagógica dos docentes e da própria escola, torna-se de facto muito difícil equacionar ou mesmo resolver estas situações duma forma atempada e racional. Todavia, torna-se indispensável questionar qual o grau de participação da própria escola, da família ou mesmo do meio envolvente na geração de violência por parte de alguns alunos, e não apenas assumir-se uma posição simplista, sem a devida fundamentação, de que o problema da violência reside ou se origina sempre na atitude desses alunos.
Considerando a legislação vigente, deseja-se a formação de alunos críticos, capazes de reflectirem e intervirem sobre a realidade social, e exercerem activamente a sua cidadania. Assim, tendo em vista a própria legislação e as directrizes educacionais em vigor, a escola deve desenvolver competências nos alunos tendo em vista tais finalidades. Mas, particularmente o exercício do pensamento crítico na forma de contestação, por exemplo, ao ser exercitado dentro da escola, resulta em situações de conflito quando os professores não gostam ou não estão preparados para lidar com alunos que recorrem a esta forma de expressão.
O facto é que este aluno contestador, membro de uma sociedade cujos valores estão em constante mudança, onde o respeito pelo próximo já não é o que era, oriundo por vezes de meios sociais muito complicados ou de famílias desagregadas, não se conforma a aulas que considera “enfadonhas’, “desactualizadas”, “teóricas”, e olha muitas vezes o professor como um ser autoritário (porque não o deixa fazer o que quer), manifestando assim, o seu descontentamento, o qual precisa ser analisado para além do rótulo de indisciplina/violência, e ser pensado como expressão de uma consciência social em formação.
Contudo, se desejamos que tais alunos se tornem cidadãos de pleno direito, será necessário prepará-los (tarefa por vezes bastante difícil) para pensar e resolver conflitos, ou teremos uma violência com tendência para aumentar cada vez mais. Neste aspecto, o papel da família é crucial, devendo a mesma ser chamada a intervir e a responsabilizar-se pela educação dos seus educandos.
De facto, se em casa as crianças aprendem a receber atenção e reconhecimento através de condutas socialmente inadequadas/impróprias, na escola continuam a praticar esse modo de conseguir o que desejam e, quando se deparam com uma situação de não atingirem esse feito, partem muitas vezes para a indisciplina e a violência.
Causas da indisciplina/violência em meio escolar
Em relação à família, são vários os motivos que podem originar nos alunos actos de violência nas escolas:
Esses motivos estão muitas vezes ligados a:
- desagregação familiar: separações, mortes, consumo de drogas, prostituição, falta ou inversão de valores morais e éticos, desprestígio da educação, carência afectiva dos filhos;
- pais omissos: ausentes dos problemas escolares, coniventes com os erros dos filhos, não incentivando os estudos, não impondo limites aos filhos, jogando para a escola a responsabilidade da família;
- carências múltiplas: desemprego, miséria, exclusão social, falta de tempo para os filhos;
- falta de apoio psicológico e assistência social.
Em relação aos alunos, são também alguns os motivos que estão na origem da indisciplina/violência em meio escolar:
Esses motivos estão na maioria das vezes ligados a:
- falta de perspectivas, descrença nas instituições, desinteresse pela escola, falta de identificação com os professores e com a escola;
- interpretação errónea dos regulamentos internos das escolas (os direitos são geralmente valorizados em detrimento dos deveres), a não obediência às regras e normas de convivência, sentimento de impunidade, leis excessivamente permissivas, falta de padrões comportamentais positivos no grupo;
- dificuldades de aprendizagem, fracasso escolar;
- influência negativa dos meios média e banalização da violência;
- consumo de drogas e as más companhias;
- ociosidade das crianças e dos adolescentes associada à falta de projectos multi-disciplinares, extra-curriculares (prática de desportos, prática musical, exercício da solidariedade, trabalhos comunitários, etc...)
Em relação aos professores e à escola:
Os motivos geradores de indisciplina/violência podem estar ligados a: - falta de professores, faltas dos professores, falta de estímulo, descompromisso, baixos salários, carga horária excessiva de trabalho, formação deficiente, falta de habilitação, metodologias inadequadas, rotatividade excessiva, falta de treino e capacitação;
- falta de espaços físicos adequados para as actividades quotidianas.
Em relação ao sistema, os motivos que poderão gerar indisciplina/violência em meio escolar estão normalmente ligados a:
- problemas com o sistema escolar: mudanças bruscas sem o prévio preparo, currículo desfasado da realidade, inadequado e restritivo, descaracterização da progressão/formação continuada, diminuição gradual da autoridade dos docentes, descaracterização, perante a sociedade, do papel do professor, centralização excessiva das decisões (nos órgãos superiores);
- Ministério da Educação pouco actuante ou agindo muitas vezes contra os interesses da escola e dos docentes.
A interferência da violência na qualidade do ensino
A violência interfere na qualidade do ensino porque:
- prejudica o clima indispensável à realização do processo ensino-aprendizagem;
- afasta alunos e professores dos projectos extra-classe;
- toma muito tempo útil aos Conselhos Executivos e aos professores;
- danifica o material didáctico, prejudicando o desenvolvimento das aulas e dos projectos; - consume verbas que poderiam ter melhor aplicação e que acabam
sendo gastas em consertos do património escolar ou recompras de material pedagógico;
- causa nos alunos: ansiedade, insegurança, queda na auto-estima, desinteresse, desmotivação, reacção de auto-defesa, apatia, agressividade e dificuldade de relacionamento;
- causa nos docentes: stress, medo, ansiedade, angústia, insegurança, desmotivação e sentimento de impotência;
- conduz alunos ao abandono escolar e à retenção, estimula a falta às aulas, gera intrigas e desrespeito,
cria situações de vexame constrangedoras para os alunos;
- prejudicar o relacionamento aluno/aluno, aluno/professor, aluno/órgãos da escola e escola/comunidade;
- prejudica as Horas de Trabalho Pedagógico Colectivas, dado que nas mesmas perde-se muito tempo a debater a indisciplina e a violência provocada por determinados alunos, ao invés de servirem para optimizar a execução do projecto pedagógico/educativo da escola.
Sugestões de prevenção em situação de violência na escola
A seguir apresentam-se algumas sugestões sobre encaminhamentos disciplinares preventivos ao nível de escola:
- as escolas devem desenvolver uma directriz disciplinar de base pedagógica ampla, legitimada pela comunidade escolar, consonante com seu projecto educativo. Tal directriz deve incluir o desenvolvimento de orientações (regras e procedimentos) disciplinares claras e de base ampla, as quais ganham em legitimidade à medida que são desenvolvidas com a participação dos estudantes, tornadas claras e conhecidas de toda a comunidade envolvida com a escola.
- a participação dos alunos é um elemento importante, pois favorece o sentimento de pertença e implica o exercício de algum grau de poder sobre as disposições colectivas, bases na criação de um senso de responsabilidade comum e um elemento de motivação.
– é necessária, ainda, uma disseminação ampla destas orientações comuns, que assegure que todos os estudantes, pais e profissionais da escola tenham claras as expectativas sociais e pedagógicas que estarão sendo praticadas pela escola.
- é importante ressaltar que tal directriz disciplinar não deve se restringir a estabelecer um conjunto de normas que organizem o ambiente escolar, mas deve também orientar a própria cultura daquilo que a comunidade deseja em termos de desenvolvimento disciplinar.
- esta política disciplinar deve partir de um conceito operacional claro quanto ao que considera “disciplina” e de um processo de reflexão através do qual se estabeleçam parâmetros disciplinares que estarão informando e norteando as estratégias e procedimentos a serem observados pela comunidade escolar.
- é importante, além disso, que essa directriz disciplinar combine encaminhamentos preventivos e interventivos, na forma de práticas de sala de aula em particular (que incluem a introdução, no currículo, de elementos para o desenvolvimento moral e aprendizagem cooperativa, por exemplo), tendo por complemento disposições disciplinares de base mais ampla, relativas à escola como um todo, e que sejam conhecidas e reiteradas pelos diversos profissionais que nela estejam actuando.
- um outro aspecto importante reside no cultivo de expectativas elevadas quanto ao desempenho escolar, socialização e comportamento dos estudantes. Se desejamos uma escola bem disciplinada é importante compartilhar e comunicar, aos estudantes, expectativas que reflictam uma apreciação quanto às suas potencialidades e que expressem a visão de que eles devem assumir as suas próprias responsabilidades junto da escola.
- outro elemento preventivo relevante está no ambiente da escola (que deve ser verdadeiramente humano, no sentido de constituir um espaço democrático onde se cultiva o diálogo e a afectividade humana, em que se pratica a observação e garantia dos direitos humanos (constitucionais). Este clima caloroso deve reflectir um conhecimento e preocupação quanto aos estudantes enquanto pessoas, tendo em vista as suas condições concretas, individualidades e singularidades.
- um outro aspecto refere-se ao papel do Conselho Executivo da escola. Parece particularmente importante que este seja “visível” e actue de modo a oferecer encorajamento e suporte a professores e alunos. A visibilidade aqui considerada diz respeito à presença constante do Conselho executivo nos diversos espaços da escola, onde deve exercer, de modo informal, relacionamentos com professores e estudantes, em nível pessoal e que expresse interesse pelas suas actividades. Também é importante a relação formal entre este órgão da escola e o corpo docente da mesma.
- aos professores deve ser delegada responsabilidade para lidar com as questões disciplinares de rotina; as questões mais sérias devem ser tratadas em parceria com as pessoas ou grupo responsáveis pela orientação disciplinar (pedagógica).
- é necessário, portanto, que os professores desenvolvam e conquistem maior autonomia para lidar com a indisciplina de sala de aula. Isto não significa deixá-los a sós com a indisciplina de sala de aula, mas fomentar um trabalho em parceria, baseado em responsabilidades claramente definidas e no auxílio estratégico em situações de intervenção da equipe de apoio pedagógico.
- por último, é preciso considerar a necessidade de estreitar as relações entre escola e o meio envolvente. Nesse sentido, uma meta a ser atingida seria ampliar o grau de envolvimento dos pais nas actividades para as quais são solicitados, seja nas discussões pertinentes às questões pedagógicas como às actividades extracurriculares ou mesmo de gestão, incluindo a questão da indisciplina. Para isso, é fundamental manter a comunidade informada quanto às metas, realizações e actividades escolares.

14 comentários:

  1. Como mãe, é um assunto que obviamente me preocupa, apesar de não me supreender.

    Estamos a viver numa sociedade de consumismo onde os filhos são criados a base de presentes, jogos e tv, se chateiam, então até se arranja ATL, actividades extra curriculares só para não os aturar.

    ResponderEliminar
  2. Eu diria que a situação é muito preocupante.
    Todo esse processo é diretamente responsável pela onda de violência e falta de amor dentro da sociedade.

    Acredito que um dia teremos os ódios aplacados e os temores abrandados (como diz Guilherme Arantes), mas cada um tem que fazer a sua parte.

    Triste, muito triste...

    ResponderEliminar
  3. Creio que o problema vem da casa, antes memsmo dos filhos temos que educar os pais... o que difuculta o trabalho, pois é como torcer sipó velho.

    ResponderEliminar
  4. Cada vez mais, as escolas de Portugal são uma vergonha. Aqueles que matam, roubam, furtam, batem, esfaqueiam (todos esses) nem devia ter permissão para sair de casa. O indivíduo que mata, por exemplo, fica na cadeia us aninhos e depois é liberto (coisa que é estúpida). Quem mata não deve voltar a ter a vida normal. A pessoa que matam não tem culpa com a delinquência e indisciplina que têm certezas pessoas, e n entanto pagam com a sua p´ropria vida. O assassino tem uns anos na cadeia e depois é o homem mais feliz do mundo. Por amor de deus, isto nas escolas deve acabar, já cansa. Cumprimentos,
    da aluna de uma escola do Cacém.

    ResponderEliminar
  5. nao consegui ver o video, por favor arrumem isso...

    ResponderEliminar
  6. Eu sou aluna , e o tema do parlamento dos jovens este ano é exactamente este "Violencia em meio escolar" acho q é bastante importante este tema, porqe cada vez aah mais deste tipo de alunos na escola .. Deu-me imenso jeito estas informações, Obrigado !

    ResponderEliminar
  7. Concordo plenamente com a aluna que enviou um comentario dia 22 de Outubro de 2010 às 15:14
    Sou da ESMC que por acaso não tem muito disso porque os alunos são "maiorzinhos", visto que são do Secundário.

    ResponderEliminar
  8. tambem gostei do comentario.acho que a aluna tem razao.

    ResponderEliminar
  9. tive uma desilusão muito grande,confiava a 100%na escola da minha filha ate um dia receber um telefonema de uma mãe que me disse que viu a educadora da minha filha de 4 anos a bofetear sem motivo algum.fiquei chocada,pois sempre a minha frente foram simpáticas,são todas umas cínicas não confiem nelas elas por trás de nos só falam mal,e deseducam os nossos filhos.

    ResponderEliminar
  10. AMEI O BLOG. APRENDI MUITO OBRIGADA|
    SEJAM FELIZES. BOM NATAL

    ResponderEliminar
  11. Bem aonde eu ouvi fala serio isto e fato em toda classe independente de cultura ou nível nos Estados Unidos já ouve vários casos de filhos de pais bem sucedidos que cometeram atos sangrentos só você e que não sabe disso? Mas não quer saber, não a sistema infalível, mas o que assistimos há todos os dias e falência da família e você não sabe disto e os casos que no Brasil que a filha de pais muito ricos e bem sucedidos e os matou e o caso do filho que planejou o seqüestro do pai e a garota que a madrasta matou e o pai jogou do apartamento e você não sabe também, fora o que não esta na mídia e você me dizem aonde que eu ouvi isto aonde você esta na terra ou no mundo. Nos Estados Unidos no fantástico vários temas de pais que eram ate médicos e professores, mas seus filhos no berço das drogas o mundo este sim perdido pela pregação que estudar e tudo e isso não e verdade estamos sim criando um vinculo entre o sucesso como tudo na vida e isto e uma ilusão o que vemos no Brasil e a troca de valores sócios para uma sorte e cada um ao seu próprio destino, mas, não se esqueça de uma coisa o mundo segue a novas guerras sim guerras que nem eu ou você posso parar. Não sou o dono da verdade, mas nossa sociedade perdeu o rumo ainda tem gente muito boa, mas e minoria entre tantos e nunca tantos deveram a tão poucos, hoje se meninas brigam como bestas e porque tanto os governos liberais são sim em parti culpados pela liberação sem restrição hoje em dia vemos filmes de sexo ate nos desenhos e não rimos, mas meu só tem violência diferente dos desenhos antigos como você acha que nossas crianças vão crescendo achando que isto e normal certo analista militar disseram se você falar todo dia que a que o menino e menina ora um dia ele vira menina se você ensina na sua inocência sexo como a televisão ensina a criança vai querer fazer e você não viu isto ainda não sou contra o direito do meu próximo, mas a onde esta nosso direito? Esta política de liberdade ate para física isto e impossível foi neste contexto que surgiu uma transição entre o realismo imoral e o Modernismo. São obras publicadas para política em ação Hitlerista com cara de liberdade assim como o povo e um política de interesse de governantes que manipulam nossa sociedade a Historia como em 1914 ate a queda do muro de Berlin em 1989 falaram que não haveria, mas guerras, mas isso seria impossível com o capitalismo aonde nos somos o produto e o mundo que vemos hoje e a copia de ontem tudo de novo e você não viu isto. O estilo da época são introduzidos por pensamento e desejos mas falam de uma maneira comum: o realismo amoroso vai alem dos exercícios contidos nos séculos, há no final um túnel e uma serie de razoes para manipular a opinião destorcida de valores que foram tabus, extrair isto com vestibulares mesmo significativos e iludir a razão de um pais e o jogo de interesses um painel iconográfico que une acontecimentos literais a nossa cultura perdida de um mudo cheio de professores mas pobres em amor.

    ResponderEliminar
  12. ajudou-me a fazer um trabalho para a escola sobre isso obrigada ;)

    ResponderEliminar

Leia as regras:
Todos os comentários são lidos e moderados previamente.
São publicados aqueles que respeitam as regras abaixo:

- O seu comentário precisa ter relação com o assunto do post;
- Em hipótese alguma faça propaganda de outros blogs ou sites;
- Não inclua links desnecessários no conteúdo do seu comentário;
- Se quiser deixar a sua URL, comente usando a opção OpenID.

O estado do tempo

Tempo Lisboa

Veja também outros links:

Parceiros

Tedioso: Os melhores links Uêba - Os Melhores Links À toa na Net Seus links em um só lugar!
Está no seu momento de descanso né? Entao clique aqui!